Projeto Tamar reforça turismo em Arembepe

Iwwa Agência
Publicado 22/08/2008 09:08:54

Com grande potencial turístico e repleto de opções de lazer, Arembepe, na orla de Camaçari, abriga uma das cinco bases do Projeto Tamar. Quem quiser acompanhar de perto como vivem as tartarugas marinhas, pode conhecer o Centro de Visitantes da localidade.

Como de costume em locais de movimentação de turistas, o Projeto Tamar mantém espaços de visitação que funcionam como núcleos de pesquisa e divulgação da vida marinha, de educação ambiental, além de lazer e serviços.

Em Arembepe, o número de visitantes chega a 90 mil pessoas por ano. A unidade, localizada na Estrada do Projeto Tamar, funciona todos os dias, das 9h às 17h. A equipe de atendimento é composta por quatro biólogos, e a entrada para visitação é franca.

O espaço para visita dispõe de tanques, painéis informativos e réplicas de tartarugas marinhas em tamanho natural, exposições, aquaterrário (local onde ficam os cágados e jabutis), além de lojas para venda de produtos e artesanato local.

Há também programas de visitas orientadas para escolas do ensino fundamental, médio e universidades. Os centros de visitantes são importantes para turismo e geração de renda, além de ser instrumento de desenvolvimento auto-sustentável.

PROTEÇÃO E MANEJO
Reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha, o projeto Tamar completou em janeiro deste ano 28 anos de pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas existentes no Brasil, todas ameaçadas de extinção.

Através de 22 bases de pesquisas localizadas em pontos que vão da Bahia a Santa Catarina, o Tamar protege cerca de 1.100 quilômetros de praias. As unidades são mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso de tartarugas.

A Bahia é o estado que abriga o maior número de desovas da tartaruga-de-pente, uma das mais ameaçadas de extinção, e a maior concentração da espécie cabeçuda do litoral brasileiro.

Atualmente, a Bahia dispõe de quatro bases que funcionam durante o ano todo e ficam alocadas em Praia do Forte, Arembepe, Costa do Sauípe e Sítio do Conde. Além de uma sub-base em Mangue Seco, ativa apenas nos períodos de desova, de setembro a março.

Foto:

Localidade também é conhecida pela aldeia hippie -

Mais Notícias

Inscrições para ocupação do Teatro Alberto Martins seguem até sexta (29)

Inscrições para ocupação do Teatro Alberto Martins seguem até sexta...

Pracinhas da Cultura terá aulão de zumba em alusão ao Outubro Rosa

Pracinhas da Cultura terá aulão de zumba em alusão ao Outubro Rosa

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.