Projeto “Das Telas às Imagens” chega à nova etapa

ASCOM
Publicado 07/12/2021 11:12:12

A segunda temporada do projeto “Das Telas às Imagens – Identidade Cultural Por Cada Um de Nós” chega à segunda etapa e a exposição itinerante, que integra o trabalho de cinco artistas e acontece simultaneamente em cinco espaços de Camaçari, ganha uma nova programação.

No foyer do Teatro Cidade do Saber, está em cartaz a mostra “Barro rústico e barro ancestral”, do artista João Borges. Por influência da família, ele sempre teve contato com o barro, mas foi há um ano que resolveu se dedicar às esculturas. “Já me envolvia em outras vertentes culturais, como textos e poesias, mas a partir de um curso que fiz, a arte plástica se tornou um propósito”.

No conjunto de obras, João, que é filósofo de formação, retrata diferentes escolas filosóficas importantes da África, como a egípcia, bantu e iorubá. “O projeto ‘Das Telas as Imagens’ foi uma ideia assertiva, por valorizar os artistas e também promover o acesso da comunidade à arte”.

Ainda no foyer do Teatro Cidade do Saber, os visitantes podem conferir a exposição “Consciência”, de autoria de Antônio Borges. Multiartista, ele já se dedicava à música e à poesia, mas com a percepção por outras pessoas do seu talento para as artes plásticas, resolveu também atuar na vertente. Nas obras em cartaz, Antônio dialoga com a cultura africana, abordando temáticas como o empoderamento da mulher negra e trazendo reflexões sobre pertencimento e ancestralidade. “Me sinto lisonjeado de participar deste projeto, que é de grande importância por divulgar os trabalhos dos fazedores de arte de Camaçari. Precisamos ser vistos e fazer com que as pessoas saibam que a nossa cidade tem muitos artistas”, destacou.

A iniciativa integra ainda a exposição “Ilustrando sentimentos”, de Bruno Nunes, em cartaz no foyer do Teatro Alberto Martins; “Os caminhos de Osun: de Osogbo ao rio Pojuca”, do fotógrafo Arthur Seabra, no teatro da Pracinhas da Cultura; e “Minha cor, minha essência, minha vida”, de Nilson Carvalho, no Horto Florestal Linaldo da Silva.

“Das Telas às Imagens – Identidade Cultural Por Cada Um de Nós” é realizado pelo Núcleo de Produção do Teatro Cidade do Saber, através do subprograma Camaçari Tem Cena. As obras permanecem em cartaz por 10 dias em cada um dos locais, mudando o endereço para passar pelos demais espaços culturais. A visitação pode ser feita obedecendo os dias e horários de funcionamento de cada local.

Confira mais sobre os artistas e as obras:

Foyer do Teatro Cidade do Saber

Artista: João Borges – artista plástico;

Obra: Barro rústico, barro ancestral;

A exposição reúne 20 peças moldadas exclusivamente com a mão, tendo como inspiração as culturas africana e afro-brasileira. A mostra tem como princípio filosófico, o reconhecimento da importância da cultura africana para a identidade brasileira. Barro rústico e barro ancestral, do barro ao barro.

Artista: Antônio Borges – artista plástico, músico, professor, arte-educador, educador social, escritor, poeta e compositor. Nascido em Amado Bahia, em 1967, concluiu o nível 3 em Teologia Religiosa na Universidade Aberta da IMMBA São Paulo; cursou Desenho Artístico e Publicitário no Rio Grande do Sul; estudou Simbologia das Figuras Geométricas na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Após ter viajado longo período pelo país, voltou à Bahia em 1982, vindo para Camaçari, onde reside até os dias atuais;

Obra: Consciência;

Retrata uma viagem nas figuras abstratas e geométricas através de história e conexão a um olhar ancestral. Os traços trazem a importância da cultura africana na formação de uma sociedade, fortalecendo ainda mais suas reflexões através de pertencimento, cores e ancestralidade.

Foyer do Teatro Alberto Martins

Artista: Bruno Nunes – nascido em São Paulo, chegou em Camaçari em 2002 e, em sua arte, une o analógico (desenho em papel) com o digital (colorização em computador). Seu processo de criação vive em constante aprendizado, sendo influenciado por diversos segmentos artísticos, como música, histórias em quadrinho, fotografia, cinema e sentimentos do cotidiano. Suas ilustrações são impressas e comercializadas nas redes sociais e eventos independentes realizados na cidade;

Obra: Ilustrando sentimentos;

Conexões internas, viagem ao universo e suas sensações, em que o coração e a mente permanecem conectados, unindo as percepções vivenciadas, transbordando cor e amor.

Teatro da Pracinhas da Cultura

Artista: Arthur Seabra – fotógrafo, ogan do Terreiro Ilê Axé Ojisé Olodumare (Casa do Mensageiro), correspondente em fotografia da Companhia Viver Brasil Dance, sediada em Los Angeles (Califórnia – Estados Unidos), e cinegrafista, tendo recebido importantes premiações nacionais;

Obra: Os caminhos de Osun: de Osogbo ao rio Pojuca;

A exposição traz fotografias do culto à Osun na Casa do Mensageiro, que se situa às margens do rio Pojuca. É o culto da matriarca da Casa do Mensageiro, cujo rio demonstra enorme semelhança com o existente no continente africano, o Osogbo, na Nigéria, lugar de devoção de origem da Deusa. A Casa do Mensageiro tem como babalorixá o Pai Rychelmy Imbiriba, que é professor, mestre em Estudos Étnicos e Africanos, escritor e pesquisador de temas afro-brasileiros, apresentador e diretor audiovisual.

Horto Florestal Linaldo da Silva

Artista: Nilson Carvalho – artista plástico detentor de cadeiras na Academia Mundial de Cultura e Literatura (AMCL) e Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil (ACILBRAS);

Obra: Minha cor, minha essência, minha vida; As telas buscam contemplar as visualidades e a essência, por meio de uma linguagem plástica de pertencimento, utilizando-se da pintura para expor questões relacionadas à identidade, ancestralidade e miscigenação. A obra propõe diálogos artísticos visuais para dar visibilidade à diversidade de expressões.

Mais Notícias

Soma realiza roda de conversa em celebração ao Dia da Visibilidade Trans

Soma realiza roda de conversa em celebração ao Dia da Visibilidade ...

Seduc reúne pais e responsáveis em fórum de avaliação do PEV

Seduc reúne pais e responsáveis em fórum de avaliação do PEV

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 28 de janeiro de 2022

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 28 de janeiro de 2022

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.