Programa atende mais de 800 pessoas

Iwwa Agência
Publicado 16/07/2012 10:07:42

O Programa Municipal de Complementação Alimentar atende mais de 800 pessoas de diferentes faixas etárias. Criada em 2008, a iniciativa proporciona uma alimentação adequada aos munícipes com patologias que interferem diretamente no quadro nutricional ou desenvolvem alergias alimentares.

Entre as pessoas atendidas estão pacientes em tratamento com quadros de tuberculose, hanseníase, câncer, HIV, diabetes, desnutrição e desnutrição grave. Os suportes nutricionais variam de acordo com o estado clínico de cada indivíduo e incluem cestas básicas, suplementos e fórmulas utilizados como complemento ao tratamento medicamentoso, por um período de seis meses. Caso o paciente não apresente melhoras substanciais, este prazo pode ser estendido.

As cestas básicas são destinadas a pacientes com portadores de doenças como Tuberculose, Hanseníase, Câncer e HIV e representam um complemento nutricional mais completo. 

No caso das fórmulas infantis, o suplemento é destinado para bebês que não podem ser amamentados pelas mães, assim como às crianças que possuem APLV (Alergia à Proteína do Leite da Vaca) ou que apresentem alergia cruzada, quando são intolerantes aos leites de vaca e de soja.

Para Ruth Ribeiro, mãe de Arthur Vinícius Ribeiro, 4 anos, paciente alérgico à lactose, o Programa de Complementação Alimentar desenvolvido pela Prefeitura representa o respeito que a administração tem pela população. “Não só meu filho como todas as crianças que são atendidas pelo Programa recebem um acompanhamento maravilhoso”, frisou.

COMO FUNCIONA

Para ter acesso ao Programa de Complementação Alimentar é necessário se cadastrar nas UBS (Unidades Básicas de Saúde). Para isso, é precisos ter um diagnóstico clínico, passar por avaliação com um assistente social, além de apresentar documentos pessoais como RG, certidão de nascimento e cartão de Saúde do SUS e comprovante de resdiência atualizado.

O paciente recebe o suporte nutricional de fórmulas e suplementos após 15 dias da avaliação clínica e as cestas básicas em 30 dias. No entanto, os casos de pacientes em situação de emergência, os complementos nutricionais são oferecidos imediatamente. As fórmulas custam entre R$ 8 e R$ 550 e são custeadas pela Prefeitura.

 

Foto: Marcelo Ferrão

Distribuição de fórmulas nutricionais na Sesau -

Mais Notícias

Parceria entre Secult e Sedap é discutida em reunião

Parceria entre Secult e Sedap é discutida em reunião

Contas do 2º quadrimestre de 2021 da Seduc são apresentadas em audiência pública

Contas do 2º quadrimestre de 2021 da Seduc são apresentadas em audi...

Sejuv abre inscrições para formação técnica de educadores físicos

Sejuv abre inscrições para formação técnica de educadores físicos

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.