Prefeitura investiga causa do odor

Iwwa Agência
Publicado 23/01/2014 04:01:35

A CMA (Coordenação de Meio Ambiente) da Sedur e o Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), juntamente com a  Força Tarefa do Município e a Polícia Militar, realizaram inspeção em bairros da cidade e no polo industrial, no período das 22h de quarta-feira (22/01) às 2h da madrugada desta quinta-feira (23/01). A equipe busca encontrar as origens dos odores que têm predominado ultimamente no Município, causando transtornos à população.

“Ao que tudo indica, o odor é oriundo dos processos produtivos do polo”, afirmou a bióloga Marinalva Cruz, coordenadora do CMA, órgão vinculado a Sedur (Secretaria do Desenvolvimento Urbano). A coordenadora participou da inspeção desenvolvida com um técnico de fiscalização ambiental do Inema, três agentes da Força Tarefa e dois policiais militares do 12º Batalhão de Polícia Militar.

Eles percorreram os bairros Inoocop, Ponto Certo, Bomba, Gleba E, Triângulo, Bairro Novo e Gleba C, onde as queixas contra o odor foram mais frequentes, de acordo com a CMA. “Nós fomos nessas localidades e identificamos o cheiro, em seguida fomos ao Polo e sentimos o mesmo odor”, relata a coordenadora.

“O mesmo odor que sentimos nos bairros foi verificado entre a entrada da avenida Perimetral e o Posto Trevo”. Do Bairro Novo, a equipe seguiu para a Cetrel, pela Via Atlântica. “Nós adentramos a planta (espaço físico) da Cetrel e verificamos que lá o cheiro estava concentrado”, garante Marinalva Cruz.

“Não estamos querendo encontrar culpados, vilões, mas sim darmos uma solução para essa situação que afeta a saúde dos moradores. A população de Camaçari merece esse cuidado”, frisou a coordenadora.

Com essa inspeção, o Inema deve emitir uma nota técnica com o parecer do órgão, dentro de 30 dias. A partir do conteúdo da nota, a Prefeitura irá buscar as soluções para o problema. Dentre as medidas possíveis, o Município pode pedir às empresas uma revisão dos processos produtivos e poderá multar as organizações.

DESAFIOS

A inspeção da madrugada não foi a única. Na segunda-feira (20/01), a coordenadora da CMA, Marinalva Cruz, e a fiscalização ambiental do Inema realizaram outra averiguação nos bairros Ponto Certo, Bomba, Gravatá e Triângulo. A análise nas localidades foi feita das 9h às 10h40. Em seguida, os fiscalizadores foram para as instalações da BSC (antiga Bahia Pulp), onde ficaram das 11h às 15h.

No entanto, os dados apresentados pela organização revelam que os níveis de dióxido de enxofre (SO2), dióxido de Nitrogênio (NO2) e monóxido de carbono (CO) monitorados pela Cetrel, estão dentro da normalidade. “Um dos nossos desafios é que, embora a Cetrel monitore vários elementos, muitos dados não são divulgados e a gente acredita que o odor venha de derivados de enxofres”, informa a coordenadora.

Marinalva Cruz informa que durante os 30 dias em que será feita a Nota Técnica do Inema, a Prefeitura segue fazendo investigações e visitas em busca de soluções para o problema. 

 

Slideshow | 2 fotos

Prefeitura investiga causa do odor

Mais Notícias

Prefeitura de Camaçari qualifica ambulantes e baianas de acarajé de Arembepe

Prefeitura de Camaçari qualifica ambulantes e baianas de acarajé de...

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 18 de outubro de 2021

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 18 de outubro de 2021

Prefeito se reúne com especialista em educação no trânsito

Prefeito se reúne com especialista em educação no trânsito

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.