Implantação da rede de esgoto da orla termina até fevereiro

Iwwa Agência
Publicado 08/10/2009 03:10:31

As obras de esgotamento sanitário, considerada uma das mais importantes da história de Camaçari, continuam em ritmo intenso. Na orla, onde já foram concluídos 85% do cronograma, os trabalhos devem ser finalizados em fevereiro de 2010.

Antes das intervenções, que começaram em janeiro de 2008, a orla não tinha sistema de saneamento básico.

Monte Gordo conta com mais de 12 quilômetros de rede coletora e 18 de rede condominial, Guarajuba tem 10 quilômetros de coletora e quase 7 de condominial, além de Barra do Pojuca, com cerca de 2 e 3 quilômetros de coletora e condominial, respectivamente.

Em Itacimirim, a extensão de rede atinge quase 13 quilômetros de coletora e 6,5 de condominial.

Dentro da Estação, o esgoto é tratado primeiramente na Central de Recebimento, passando pelo Difusor de Fluxo Ascendente (Dafa), caixa de areia (local de retirada da gordura), lagoa de maturação e lagoa facultativa, onde é feita decantação do líquido. Após tratamento, o produto é despejado no rio Pojuca com 97% pureza.

Segundo o subsecretário do Desenvolvimento Urbano (Sedur), Everaldo Siqueira, mais duas novas lagoas serão construídas na estação de tratamento.

As unidades devem funcionam já em fevereiro de 2010. Ele ainda informa que a Prefeitura tem a proposta de implantar uma cooperativa de flores em Barra do Pojuca, que seria irrigada com a água tratada no local.

Terminada esta fase, a Prefeitura segue para as localidades de Jauá, Vila de Abrantes e Arembepe, também na orla. Esta parte da obra deve ficar entre R$ 12 e R$ 18 milhões, segundo Everaldo Siqueira. Toda a verba para a implantação do sistema na região provém da Embasa (Empresa Baiana de Água e Saneamento) e está orçada em R$ 25,5 milhões.

SEDE
Na sede, são aproximadamente 190 quilômetros de redes coletora e condominial instalados. A obra, iniciada em 2007, vai ser concluída em outubro de 2010. O esgoto é tratado na Estação de Tratamento da Cetrel e depois lançado no Emissário Submarino, em Arembepe.

Por ser uma obra de grande impacto, a Prefeitura entende que eventuais transtornos possam acontecer, por isso, é necessária ajuda e compreensão da população durante a intervenção. A administração municipal tem feito tudo para minimizar os problemas.

A intervenção, no valor de R$ 64 milhões, faz parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do Governo Federal. Finalizado, o projeto irá beneficiar 75% da população.

Slideshow | 2 fotos

Implantação da rede de esgoto da orla termina até fevereiro

Mais Notícias

Vacinação contra Covid continua nesta quinta (30) para todas as doses e públicos

Vacinação contra Covid continua nesta quinta (30) para todas as dos...

Quadrilha Fogueira Santa arrecada contribuição para participar de campeonato no Piauí

Quadrilha Fogueira Santa arrecada contribuição para participar de c...

STT inicia vistoria de veículos de transporte escolar da sede e costa

STT inicia vistoria de veículos de transporte escolar da sede e costa

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.

AFFPAY AFFPAY Signup AFFPAY Loginp AFFPAY Affiliates Terms AFFPAY Advertisers Terms AFFPAY Privacy Policy AFFPAY FAQ AFFPAY Contact us