Entidades reforçam a importância do debate sobre a Mulher Negra

Iwwa Agência
Publicado 22/07/2010 04:07:20

Representantes de movimentos negros de Camaçari avaliam de forma positiva o seminário em homenagem ao 25 de julho, Dia da Mulher Negra Latina-americana, do Caribe e da Diáspora,   que acontece nesta sexta-feira (23/07), a partir das 8h, na Câmara de Vereadores do Município.

O 25 de julho é uma resposta à violência sofrida pela classe feminina e uma forma de dizer não às diferentes formas de opressão, a exemplo do racismo.

O seminário tem o compromisso de colocar em pauta as conquistas das mulheres negras, e acima de tudo, levantar a auto-estima e incentivá-las a buscar melhores condições de vida.

Para Geomar Anunciação de Alcântara, militante do Movimento Negro Unificado (MNU) de Camaçari, o evento em homenagem à mulher negra é o reconhecimento e a valorização da classe que sofre preconceitos raciais e de gênero.

“Reconheço que houve melhoras significativas, mas ainda há muito que conquistar. Quero ver as mulheres competindo por uma vaga no mercado de trabalho de forma igualitária e justa”.

O secretário nacional da Aliança de Negros e Negras Evangélicos do Brasil (Anneb), Gilberto Araújo da Cruz, reforça a importância da data e do seminário. Para ele, a iniciativa põe em debate os direitos e deveres da mulher negra.

“É uma excelente oportunidade de abrir fronteiras e derrubar paradigmas”. “Queremos mais políticas públicas que coloquem a mulher numa posição valorizada, não apenas à frente de cargos inferiores e com poucas possibilidades de ascensão profissional”.

INICIATIVAS

 

Dentre as principais políticas de valorização da comunidade negra empreendidas pela Prefeitura de Camaçari está a criação da Lei 984/2009, que intitula a data de 25 de julho como Dia Municipal da Mulher Negra, a criação da Secretaria de Promoção da Mulher e da Reparação, além da Coordenação de Promoção da Igualdade Racial.

A implantação da disciplina sobre a história da cultura africana e afro-brasileira na rede pública, é outra importante iniciativa do governo.

A medida resgata e conscientiza os jovens sobre a contribuição dos negros para a sociedade.

Camaçari conta ainda com uma comunidade remanescente de quilombola e 418 entidades de religião de matrizes africanas.

Na saúde, há a Unidade de Apoio às Pessoas com Doença Falciforme (Unifal), localizada no Cuidar, que oferece orientações, consultas e encaminhamentos para vacinas, medicamentos e exames.

A doença, hereditária, originou-se na África e foi trazida para o continente Americano pela imigração forçada dos escravos.

 PROGRAMAÇÃO

08h – Composição de Mesa com Autoridades e Representantes dos Movimentos Sociais e Sociedade Civil.

09h30 – Palestra: Saúde da Mulher Negra

  Palestrante: Dr.ª Edna Maria Abreu Seabra

10h30 – Palestra: Campanha dos 100 anos de Diagnóstico da Doença Falciforme

  Palestrante: Neide Justos

11h30 – Palestra: Poder da Conscientização e da Denúncia no Enfrentamento da Violência contra Mulher.

 Palestrante: Dr.ª Izabel Alice Pinheiro

12h30 – Debate

14h00 – Coffee Break

Foto:

Mais Notícias

Vacinação contra Covid segue para pessoas de 18 anos acima e segunda dose neste sábado (25)

Vacinação contra Covid segue para pessoas de 18 anos acima e segund...

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 24 de setembro de 2021

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 24 de setembro de 2021

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.