Doença é discutida em evento da Sesau

Iwwa Agência
Publicado 20/07/2016 12:07:59

A Prefeitura, através da Sesau (Secretaria da Saúde), realizou Sessão Temática sobre Leishmaniose e Esporotricose. A iniciativa, realizada nesta quarta-feira (20/07), no auditório da Prefeitura, promoveu a formação, o debate e o encaminhamento de propostas de trabalho, além de fluxos de notificação e atendimento, controle e intervenções terapêuticas e tratamento.

O evento contou com palestras sobre Vigilância da Leishmaniose e Esporotricose e Busca Ativa e Diagnóstico para Esporotricose, ministradas pelo médico de Saúde Pública do Município e especialista nas doenças tropicais, Edgar Crusoé, e pelas veterinárias do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Camaçari, Adriana Almeida e Sandra Passos, respectivamente.

Por fim, foi realizado um debate sobre como incluir no Município a notificação compulsória da Esporotricose, mesmo não havendo notificação no Estado e nem no País.

A formação teve como finalidade capacitar os profissionais e possibilitar que diferenciem as doenças com mais facilidade. A Leishmaniose Visceral causa icterícia, identificada pela pele amarelada, e aumento do fígado e do baço. A Leishmaniose Tegumentar, confundida com a Esporotricose e que não há caso registrado no Município, apresenta lesões na pele e feridas que são desencadeadas, geralmente, nas extremidades. A Esporotricose é representada por lesões na pele acompanhadas por nódulos e também pode infectar os animais domésticos, especialmente os gatos.

A escolha do tema atende à solicitação dos profissionais da Rede de Saúde do Município. A iniciativa contou com 70 profissionais da Sesau, da rede privada e do Hospital Geral. Participaram do debate como convidados representantes do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Muniz), do Núcleo da Região Leste e da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Fátima Guirra, falou sobre a Esporotricose no Município. “Descobrir uma doença nunca é bom, mas isso mostra que os profissionais de Camaçari estão atentos e vigilantes, o que é muito importante”, frisou.

O bairro Camaçari de Dentro foi o primeiro a apresentar caso da Esporotricose. As enfermeiras da UBS (Unidade Básica de Saúde) do bairro, Sheila Cardoso Fonseca, 32 anos, e Míriam Santos de Souza, 33 anos, falam sobre a necessidade do debate para sensibilizar os profissionais quanto a identificação dos casos, no intuito de que o tratamento seja imediato.

Ainda segundo elas, é preciso tratar tanto o animal e o indivíduo. As enfermeiras destacaram ainda a dificuldade inicial, por ser uma doença pouco conhecida e que a notificação compulsória já é feita na unidade de saúde.

As pessoas que identificarem casos das doenças devem procurar a Coordenação de Vigilância Epidemiológica, através do telefone (71) 3644-5754 ou 3644-5748, para humanos, ou o CCZ, nos números (71) 3634-5743 ou 3634-5753, para animais.

Slideshow | 2 fotos

Doença é discutida em evento da Sesau

Mais Notícias

Vacinação contra Covid-19 continua nesta quarta-feira (20) em Camaçari

Vacinação contra Covid-19 continua nesta quarta-feira (20) em Camaçari

Secult se reúne com Liga de Capoeira

Secult se reúne com Liga de Capoeira

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 19 de outubro de 2021

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 19 de outubro de 2021

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.