Cordoaria, cinco anos como comunidade quilombola

Iwwa Agência
Publicado 20/01/2010 06:01:30

Firmino Francisco de Matos, 89 anos, fala com lucidez do lugar em que vive há mais de 70 anos. “Quando cheguei aqui em Cordoaria, só existiam três casinhas de palha e muito mato.” Casado e pai de cinco filhos, seu Firmino é o morador mais antigo do local, que comemora hoje (20/01) cinco anos de reconhecimento como comunidade quilombola.

Pela primeira vez, a localidade, na zona rural de Camaçari, comemora o aniversário do título quilombola dado pela Fundação Palmares, em janeiro de 2005, durante a gestão do prefeito Luiz Caetano, que tem desenvolvido um trabalho significativo na área de igualdade e reparação racial.

A Fundação Palmares, órgão do governo federal, disponibiliza verbas para comunidades quilombolas de todo o país, a serem aplicadas nas áreas sociais, saúde, educacional, infra-estrutura, entre outras. O repasse é intermediado pelas prefeituras. No momento, Camaçari aguarda a titulação do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) para ter direito ao repasse.

De acordo com José Angelino de Santana, presidente da Associação dos Moradores de Cordoaria, no passado, o local foi utilizado como esconderijo de escravos fugitivos. Ele disse que graças ao trabalho realizado pela Prefeitura, a comunidade já avançou bastante. Atualmente, cerca de 300 famílias vivem na localidade.

A festa de aniversário teve início cedo, às 6h, com uma alvorada. Por volta das 10h, a população se reuniu na Associação de Moradores para apresentações de samba-de-roda com os grupos culturais do Município. Na seqüência, houve palestra sobre Orgulho em ser quilombola. As atividades continuaram durante a tarde, com apresentações e discussões sobre o assunto.

A Secretaria da Saúde (Sesau) realizou feira de saúde para conscientizar os moradores com atividades de saúde bucal e distribuição de kits, aferição de pressão arterial e de glicemia, vacinação, palestra sobre planejamento familiar e DST, mais a entrega de preservativos.

Para a presidente da Câmara de Vereadores de Camaçari, Luiza Maia, a data é muito importante e merece ser comemorada. “Cordoaria é exemplo e motivo de orgulho para Camaçari e a Bahia”. Ela disse que o Município é um dos mais empenhados nas questões de reparação racial, sendo um dos primeiros no país a implantar o Estatuto da Igualdade Racial.

Maria Cristina Santos é professora e moradora da localidade. Para ela, o mais importante é o reconhecimento cultural e de identidade que a comunidade está recebendo. A coordenadora de Promoção a Igualdade Racial de Camaçari, Ivonete Mota, disse que os moradores precisam e devem lutar pelos direitos e ter orgulho de serem uma comunidade quilombola.

Slideshow | 2 fotos

Cordoaria, cinco anos como comunidade quilombola

Mais Notícias

Drilha Junina promete muita animação na 1ª edição

Drilha Junina promete muita animação na 1ª edição

Vila da Cultura atrai centenas de pessoas e valoriza tradição junina

Vila da Cultura atrai centenas de pessoas e valoriza tradição junina

Festas juninas de Camaçari movimentam a economia e o turismo

Festas juninas de Camaçari movimentam a economia e o turismo

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.

AFFPAY AFFPAY Signup AFFPAY Loginp AFFPAY Affiliates Terms AFFPAY Advertisers Terms AFFPAY Privacy Policy AFFPAY FAQ AFFPAY Contact us