Camaçari 250 anos da monarquia ao voto popular

Iwwa Agência
Publicado 12/09/2008 12:09:38

A trajetória política de Camaçari, que completa 250 anos no dia 28 de setembro, é marcada pelas mais diversas formas de governo. Por volta de 1549, as terras, então conhecidas como Aldeia do Espírito Santo, eram administradas pelos jesuítas por designação da Coroa Portuguesa.

Cerca de 200 anos depois, após a expulsão dos padres, Camaçari teve o território desmembrado de Salvador, através do Alvará Régio de 28 de setembro de 1758.

Na ocasião, a então Aldeia do Divino Espírito Santo foi elevada à categoria de Vila e passou a se chamar Vila do Espírito Santo de Nova Abrantes, proclamada por João Ferreira de Bitencourt e Sá. No dia 8 de outubro do mesmo ano, um ato real proclamou oficialmente a vila e instalou a Casa de Câmara e Cadeia.

A partir da expulsão dos jesuítas, a história é bastante vaga. No entanto, suspeita-se de que as terras passaram a ser administradas pelos colonos portugueses que, por sua vez, eram subordinados aos governadores da Bahia.

O fato é que a história política de Camaçari está diretamente vinculada à da Bahia, que teve governadores nomeados pelo rei de Portugal de 1534 a 1821. A partir de então, a administração passou para uma junta provisória.

Em 1824, assumiu o primeiro presidente da Província da Bahia, Francisco Vicente Viana, que ficou no poder até 1889, quando a Bahia aderiu à República dos Estados Unidos do Brasil. Inicialmente, os governadores eram nomeados pelo governo provisório da República, até que vieram os governos eletivos de 1892 a 1930.

Na revolução de 1930, o Brasil passou a ser comandado por interventores, inclusive Camaçari. O novo regime, instaurado por Getúlio Vargas, durou até a década de 40. No Município, o primeiro interventor foi o tenente-coronel Augusto Lopes Vilas Boas, seguido de Aloísio Conegundes de Oliveira, Henrique Souza, capitão José Martins de Oliveira, coronel José Nunes de Matos e Mário Bélens Pinto.

HISTÓRIA RECENTE
Na história política mais recente, datada a partir do Estado Novo, findado em 1945, a democracia foi restaurada e as eleições passaram a ser por voto direto. Foi então que João Osvaldo de Araújo assumiu a Prefeitura de Camaçari, após vencer as eleições de 1947.

No entanto, 26 anos depois, veio à ditadura militar. Em 1973, o Município se tornou Área de Segurança Nacional (ASN) por abrigar o Pólo Petroquímico, que integrava muitas indústrias produtoras de materiais de valor econômico para o país. Os critérios para se definir uma cidade como ASN era o fato de ser capital ou portar equipamentos econômicos de interesse nacional.

Com isso, passou a ser comandado por interventores nomeados pelo presidente do Brasil até 1985, quando a democracia foi novamente restituída. O primeiro prefeito de Camaçari após a abertura política foi Luiz Caetano, que assumiu em 1986 até 1988.

Desde 1948, a cidade teve 15 prefeitos. Destes, Humberto Henrique Garcia Ellery foi o que mais ficou no poder, à frente da administração pública por 15 anos, 11 enquanto era Área de Segurança Nacional e outros quatro entre 1993 e 1996, quando foi eleito pelo voto popular. Já José Eudoro Reis Tude foi o prefeito com o maior número de mandatos, três no total.

CÂMARA
Foi em 1948 que, no dia 21 de março, a Câmara Municipal de Camaçari foi fundada. Na época, haviam oito cadeiras, sendo sete ocupadas por homens e uma por mulher, a professora Ilda Leal Ulm da Silva.

Inicialmente, a Câmara de Vereadores funcionava nos fundos do antigo prédio da Prefeitura, hoje sede do Tribunal de Contas do Município (TCM). Foi em 21 de agosto de 1991 que a Casa foi transferida para a sede atual. Desde que foi fundada, 26 vereadores assumiram a presidência da casa. A primeira mulher a comandar os trabalhos da Câmara foi Maria Lígia Almeida de Sousa, de fevereiro de 83 a março de 85.

Em maio de 1990, a Câmara chegou a ter 17 vagas para legisladores. Nas eleições de 2004, as cadeiras foram reduzidas para 12 e este ano subiu novamente para 13 vagas.

No ano em que o Município completa 250 anos, as eleições se destacam pelo número, cada vez mais crescente, de eleitores e candidatos aos cargos eletivos de prefeito e vereadores. Dos 124.140 eleitores – 56,30% dos 220.495 habitantes -, 178 são candidatos: cinco ao cargo de prefeito e 173 à Câmara de Vereadores.

Foto: Marina Silva

Município tem 220 mil habitantes e um dos maiores PIB -

Mais Notícias

Tiro de Guerra de Camaçari forma 37 atiradores

Tiro de Guerra de Camaçari forma 37 atiradores

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 1º de dezembro de 2021

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 1º de dezembro de 2021

Programação diversificada anima Agenda Cultural

Programação diversificada anima Agenda Cultural

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.