Lei que cria Programa Bolsa Social Camaçari é sancionada

ASCOM
ASCOM
Publicado 15/01/2019 04:01:32

A Prefeitura de Camaçari tem o seu próprio Programa de Transferência e Complementação de Renda Direta aos Cidadãos e Famílias. A Lei N° 1567/2018, que cria o “Bolsa Social Camaçari”, foi sancionada pelo prefeito Elinaldo Araújo e publicada na última sexta-feira (11/1), no Diário Oficial do Município (DOM) de número 1086. Na prática, isso quer dizer que, a partir de agora, o município tem um programa especifico, que vai atender, prioritariamente, as demandas sociais da população carente que não é beneficiada pelo Programa Federal Bolsa Família.

Coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania (Sedes), o Bolsa Social Camaçari será gerido pela Diretoria de Proteção Social Básica. O próximo passo, agora, é a estruturação para implantação do serviço, que consiste no diagnóstico e busca ativa para levantamento do perfil do usuário. Para ter direito ao Bolsa Social Camaçari, é preciso que o cidadão seja residente e domiciliado na cidade há, no mínimo, três anos, comprovados, e esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), além de seguir os critérios socioeconômicos.

Entre os objetivos do programa está: amparar as famílias, em situação de vulnerabilidade social, por meio da proteção social, que visa a garantia da vida, a redução de danos e a prevenção de incidência de riscos. Além de complementar a renda, possibilitará a inserção dos beneficiários no mercado de trabalho, já que os cidadãos serão contemplados com cursos de capacitação profissional.

De acordo com a titular da pasta, Andrea Montenegro, amparar as famílias por meio de proteção social, assistindo prioritariamente pessoas em situação de risco e vulnerabilidade, é a meta do programa. “Nossa equipe trabalha para que o programa entre em ação o mais breve possível. Mas, para isso, precisamos que todas as etapas estruturais sejam concluídas”, salientou a secretária.

Ainda segundo a secretária, o programa Bolsa Social Camaçari é, prioritariamente, para quem não tem o Bolsa Família ou outro benefício – seja ele oriundo de outras fontes de qualquer natureza concedidas por entes públicos, privados e entidades não governamentais – porém, quem tem, não está excluído de pleitear, basta atender aos critérios estabelecidos.

O valor do benefício será: para famílias com renda per capita mensal menor que 1/6 (um sexto) do salário mínimo vigente, a provisão monetária mensal será de R$150,00; já as famílias com renda per capita familiar mensal de 1/6 (um sexto) até 1/4 (um quarto) do salário mínimo vigente, o valor será de R$100,00.

A permanência no programa está condicionada à matrícula regular dos dependentes em idade escolar em unidades de ensino público municipal, estadual ou federal, ou em rede particular com bolsa integral ou semi-integral que não ultrapasse R$ 100,00 de mensalidade. A frequência mínima escolar exigida é de 85%.

O programa exige, ainda, que os integrantes da família participem dos serviços, programas e projetos da assistência social promovidos pela Sedes e que integrem as capacitações e qualificações profissionais que serão promovidas pelo Poder Público.

Demais informações sobre a lei que rege o Programa Bolsa Social Camaçari podem ser obtidas neste link.

Mais Notícias

Verdes Horizontes recebe oficina de participação social para revisão no PDDU

Verdes Horizontes recebe oficina de participação social para revisã...

Palestra marca o Dia do Auditor Interno

Palestra marca o Dia do Auditor Interno

Novembro da Diversidade tem início e lota o Foyer do Teatro Cidade do Saber

Novembro da Diversidade tem início e lota o Foyer do Teatro Cidade ...

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.