Fechamento provoca revolta na população

ASCOM BOT
ASCOM BOT
Publicado 05/08/2008 03:08:15

A decisão da juíza substituta da 5ª Vara da Fazenda Pública, Lisbete Maria T. Almeida Cezar Santos, de conceder liminar à ação da CLN (Concessionária Litoral Norte) determinando o fechamento das vias alternativas ao pedágio – Várzea Grande e Las Palmas -, provocou revolta na população de Camaçari e Região Metropolitana, que utiliza com frequência a Estrada do Coco – BA 099.

A Procuradoria Jurídica do Município de Camaçari entrou com embargo de declaração e pedido de reconsideração na 5ª Vara da Fazenda Pública e com agravo de instrumento no Tribunal de Justiça da Bahia. A decisão da juíza foi concedida no dia 1º de agosto e a Prefeitura comunicada nesta terça-feira (05/08).

A liminar autorizando o fechamento causou surpresa na administração municipal e nos meios jurídicos porque a questão já havia recebido sentença favorável pela liberação das duas vias em 2006, concedida pela juíza da comarca de Camaçari, Marta Cavalcanti, e acórdão do Tribunal de Justiça, no início deste ano, garantindo a manutenção da abertura das vias Várzea Grande e Las Palmas.

Outro detalhe que chama atenção na concessão da liminar é o fato de o juiz titular da 5ª Vara da Fazenda Pública, Ricardo D’Ávila, diante do processo ajuizado em 20 de maio passado pela CLN, ter decidido só tomar uma decisão sobre a questão depois de ouvir as partes, o que não foi feito pela juíza substituta Lisbete Santos.

O recurso utilizado pela CLN de ajuizar processo sobre matéria que já havia sido julgada pela comarca de Camaçari e pelo Tribunal de Justiça se configura como litispendência. A alegação da concessionária de que as vias alternativas são rotas de fuga foi desmascarada nas duas instâncias, onde o Município provou que ambas são estradas cinqüentenárias, ou seja, existem há mais de 50 anos, enquanto o pedágio foi instalado em 2000.

MANIFESTAÇÃO
O Movimento Pedágio Livre, que tem jogado papel decisivo na luta pela manutenção da liberação das vias alternativas, realiza nesta quarta-feira (06/08), às 8h30, nas vias Las Palmas e Várzea Grande, manifestação contra a liminar da juíza Lisbete Santos. Está previsto ainda para esta semana, protesto em frente ao Tribunal de Justiça da Bahia.

A instalação do pedágio na Estrada do Coco fere a Constituição porque divide o Município ao meio. Há situações em que o morador tem de pagar ida e volta para transitar em menos de 200 metros de estrada pedagiada. Constitucionalmente, pedágio só pode ser instalado no limite entre um município e outro.

Com o fechamento das vias alternativas, o morador da orla é obrigado a pagar a tarifa até mesmo para ir ao banco, cartório, Centro Administrativo de Camaçari ou médico, situados na sede do Município.

Foto: Marina Silva / Arquivo

População protesta mais uma vez contra interdição das vias -

Mais Notícias

Mais oito ruas em localidades da Costa de Camaçari recebem asfalto

Mais oito ruas em localidades da Costa de Camaçari recebem asfalto

ISSM publica cartilha de educação financeira

ISSM publica cartilha de educação financeira

Cooperativas de transporte coletivo recebem o Vale Cesta Básica

Cooperativas de transporte coletivo recebem o Vale Cesta Básica

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.