Centro Comercial passa por grandes modificações

ASCOM BOT
Publicado 25/04/2008 02:04:13

No comando do Centro Comercial de Camaçari desde março do ano passado, Antônio Carlos Bitencourt tem desenvolvido um trabalho de qualidade e reconhecimento. Natural de Camaçari e formado em Administração, ele já trabalhou como bancário e tem experiência no ramo farmacêutico.

A gestão é reconhecida por feirantes e freqüentadores do local. Desde que ele assumiu, diversas mudanças aconteceram na feira: implantação do módulo da Polícia Militar, reforma de banheiros, ampliação e reestruturação do setor administrativo, entre outras ações.

Ascom – Como está o Centro?

Antônio – O Centro Comercial de Camaçari é o termômetro socioeconômico do Município. Avanços significativos em todas as áreas vêm acontecendo, gradualmente. O comércio funciona de domingo a domingo e um grande número de pessoas circula aqui, diariamente. A feira melhorou bastante, mas ainda há muito que fazer.

Ascom – Quais as principais mudanças ocorridas nos últimos três anos?

Antônio – A administração municipal trouxe diversas mudanças positivas para o Centro Comercial. O local tem merecido um cuidado todo especial. Houve a construção das bancas de azulejos de hortifruti, o fortalecimento da segurança e o cuidado com limpeza, fiscalização e manutenção. A Prefeitura também isentou os permissionários do pagamento da energia elétrica, proporcionou a cobertura da feirinha, padronizou as praças de alimentação e pintou toda parte externa do Centro.

Ascom – Quais os principais problemas ainda existentes?

Antônio – Não diria problema, mas uma questão que exige sempre muito cuidado é a limpeza. Toneladas de lixo são produzidas diariamente. Mesmo com toda manutenção disponível, o Centro Comercial é muito grande e exige um contingente considerável de trabalhadores para essa atividade.

Ascom – Quais as soluções possíveis?

Antônio – Estamos articulando a criação do terceiro turno da limpeza, durante a noite, que será responsável pela higiene de todo o Centro Comercial, pois é complicado fazer a manutenção durante o dia.

Ascom – Quantos permissionários existem no centro?

Antônio – Temos alocados hoje, no Centro Comercial de Camaçari, dois mil permissionários que geram aproximadamente seis mil empregos diretos.

Ascom – Quantas pessoas circulam por dia?

Antônio – Atualmente, se estima que cerca de 60 mil pessoas passam pela feira durante a semana, um número bastante significativo.

Ascom – Como está a segurança no Centro?

Antônio – Hoje, a feira conta com um sistema de segurança que tranqüiliza a população. Foi implantado um módulo da Polícia Militar, serviços de empresa de vigilância, posto do Juizado de Menores e monitoramento eletrônico por câmeras de segurança. Existe uma ação de aumentar o número de equipamentos de monitoramento eletrônico. O processo licitatório já foi concluído.

Ascom – Como é a relação com os permissionários?

Antônio – Muito boa. Foi realizada pesquisa com os permissionários que indicou a boa aceitação da gestão. Com a implantação da Ouvidoria, estreitamos o canal de comunicação entre a administração e os feirantes. Antes de qualquer atitude, é necessário ouvi-los e tentar resolver as situações em sintonia com os mesmos.

Ascom – Quais as perspectivas para o futuro?

Antônio – Temos de pensar no desenvolvimento do Centro Comercial hoje e daqui a 10, 20 anos. O foco do futuro é o empreendedorismo. A feira tem crescido bastante e é importante cuidar para que o desenvolvimento continue. A intenção é a de torná-la um dos grandes centros comerciais do país.

Foto: Agnaldo Silva

Antônio Bitencourt é coordenador do Centro Comercial -

Mais Notícias

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 1º de março de 2021

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 1º de março de 2021

Camaçari fecha 2020 com superávit de R$ 61 Milhões

Camaçari fecha 2020 com superávit de R$ 61 Milhões

Secult oferta atendimento para comunidades da costa e zona rural

Secult oferta atendimento para comunidades da costa e zona rural

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.