Advogado recebe homenagem

Iwwa Agência
Publicado 02/04/2014 05:04:04

Quando muitos temiam revelar suas convicções políticas, sob pena da prisão e da tortura imposta pela Ditadura Militar, alguns poucos ousavam defender essa camada da população. O ano era 1973 e o jovem Augusto de Paula entrava para a Faculdade de Direito da UCSAL (Universidade Católica do Salvador) já com a missão de advogar pelos presos políticos.

Hoje, quando se relembram os 50 anos do Golpe Militar, o advogado, de 60 anos, recebe homenagens do Congresso Nacional e da OAB/CFB (Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil) por ter atuado em defesa de cidadãos que lutavam por seus direitos, mas tiveram suas vozes caladas ou suas vidas sucumbidas no período de 1964 a 1984.

Por volta das 16h, desta quarta-feira (02/04), foi iniciada uma homenagem prestada por parlamentares com a publicação do livro Advocacia Criminal nos Anos de Chumbo, uma coletânea de depoimentos de diversos advogados do Brasil, dentre eles, Augusto de Paula, de como foi atuar àquela época.

Na segunda-feira (31/04), a OAB entregou um diploma para o profissional, que reside em Camaçari, em Arembepe, há 10 anos. No Município, ele coordena o Cajuc (Centro de Assistência Judiciária e Cidadania), que promove assistência jurídica à população carente e trabalha no combate a improbidades administrativas.

“É uma emoção muito grande lembrar tudo o que vivemos e nos enxergamos como sobreviventes. Mas há uma angústia, porque esses torturadores precisam ser punidos, a tortura é um crime que não prescreve e eles precisam pagar por isso”, comentou o advogado.

Um dos orgulhos do advogado é ter ajudado o preso Teodomiro Romeiro dos Santos, o primeiro brasileiro condenado à pena de morte durante a República e hoje juiz em Pernambuco, a fugir. Por esse motivo, ele foi preso e, para evitar novos conflitos com as leis brasileiras à época, foi embora para a França, em 1982, reencontrar o amigo foragido. Seis meses depois retornou ao Brasil e depois foi para a Itália, onde se tornou mestre em direitos humanos pela Universitá di Padova.

Augusto de Paula é soteropolitano e faz parte da Comissão da Verdade da OAB/BA (Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Bahia). A nomeação foi divulgada no Diário Oficial da Justiça do Estado da Bahia, n° 1.034, em 11, de setembro de 2013. A Comissão da Verdade foi criada no intuito de apurar e esclarecer as violações aos direitos humanos, cometidas por agentes públicos entre 1964 e 1988.

Foto: Agnaldo Silva

Congresso Nacional homenageia Augusto de Paula -

Mais Notícias

Camaforró 2021 é cancelado por conta de nova onda do novo coronavírus

Camaforró 2021 é cancelado por conta de nova onda do novo coronavírus

Decreto prorroga medidas restritivas e suspende desfiles cívicos

Decreto prorroga medidas restritivas e suspende desfiles cívicos

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 10 de abril de 2021

Boletim Epidemiológico de Camaçari – 10 de abril de 2021

Pressione enter para começar a busca ou Esc para fechar a janela.